quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O medo, o pânico, a depressão

Já me deram tantas razões para o que sinto.. A verdade é que é tão dificil sentir isto durante todo este tempo. Esta sensação de aflição, de nervosismo constante estão a dar cabo de mim. Não há um unico dia em que esteja calma, em que consiga relaxar com quem gosto, nem aproveitar as boas coisas que o mundo tem para oferecer. Neste momento sinto que deixei de respirar por uns segundos e depois lembro-me a respirar de novo. Este aperto na garganta muitas vezes impede-me de respirar, de rir, de ser feliz, é tão constante que dói, que custa... Já lá vão 3 anos disto, e ao contrário do que muita gente julga, já não sou tão forte como fui outrora. Fiquei mais fria, mais arrogante, mas cada vez mais fraca, porque neste mundo, onde toda a gente é cruel, eu não fui fadada para aguentar.

Sem comentários: